Plano de Desenvolvimento da Apicultura é lançado em Ilhéus

Plano de Desenvolvimento da Apicultura é lançado em Ilhéus

(Ilhéus -BA) - O fortalecimento da agricultura familiar, a introdução e consolidação de técnicas e métodos na criação de abelhas, desenvolvendo tecnologias para o incremento da produtividade e a melhoria da qualidade dos produtos são pontos fundamentais defendidos no Plano de Desenvolvimento da Apicultura na Bahia, lançado nesta quarta-feira (15), durante o V Congresso Baiano de Apicultura e Meliponicultura, que vai até sexta-feira (17) no Centro de Convenções de Ilhéus. O plano foi apresentado pelo superintendente de Agricultura Familiar (Suaf), da Seagri, Wilson Dias, que destacou a importância social e econômica da iniciativa. "Esta é uma das cadeias mais importante do Estado, e nosso objetivo é estimular seu crescimento, dando sustentabilidade".

O plano aponta para o aproveitamento das potencialidades do Estado para incrementar a renda das famílias para que a produção do mel e pólen seja utilizada, não apenas como remédio, mas, sobretudo, como alimento permanente e de qualidade na mesa dos brasileiros. Para isso, ele foi elaborado através de planejamento intensamente participativo, onde os protagonistas locais tiveram a oportunidade de catalogar, discutir e refletir os dados do diagnóstico realizado e construir a agenda de mudanças.

De acordo com o secretario estadual de Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, a atividade tem crescido nos últimos anos, isso porque a Bahia apresenta condições favoráveis ao desenvolvimento e reprodução das abelhas, a exemplo dos diversos biomas. "A quantidade de apicultores, em sua maioria agricultores familiares, na atividade em 2010 foi de 8.850, em 2012 foram contabilizados 9.466 e a nossa previsão é de, em 2014, 10.412 apicultores", ressaltou.

Para Salles, o plano significa um marco para a atividade. "O plano lançado hoje é um desejo de todos os apicultores baianos, e seguimos as indicações deles para elaborá-lo. O diagnostico que temos vai nortear a atividade para que possamos atingir as metas. Queremos que cada apicultor tenha renda média mensal de pelo menos R$ 1 mil, mas para isso, o produtor tem que aumentar o numero de colméias, ter maior produtividade" disse, destacando o apoio do governo estadual com assistência técnica e infraestrutura.

O prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, acredita que a cultura do mel pode ser ótima alternativa para movimentar a economia local. "Ilhéus já foi grande produtor de cacau, mas depois da crise em função da vassoura de bruxa, temos procurado alternativas que garantam geração de emprego e renda. Nossa vocação agrícola é indiscutível e por isso acredito que temos muito a fazer, de forma a contribuir com a nossa economia", disse.

Para o diretor executivo da CAR, Jose Vivaldo Mendonça, a Bahia se tornará, dentro de mais alguns anos, referência na produção de produtos apícolas para o Brasil. "Da forma como o plano foi construído e ao que ele se propõe, a Bahia vai liderar a produção de mel no país. O desafio agora e garantir melhor remuneração para os produtores de mel", destacou.

O coordenador do Seminário Brasileiro de Própolis, Edinei de Oliveira Magalhães, destacou que a região Sul da Bahia é a maior produtora de pólen do Brasil, e grande produtora de própolis vermelha, mas ainda falta o trabalho de melhoramento genético das abelhas, que deve partir da esfera federal. "A Ceplac faz esse trabalho de forma tímida, pois não consegue alcançar toda a Bahia. Precisamos também que as regras para as casas de mel sejam diferentes das utilizadas para laticínios, como acontece hoje. São muitos desafios, mas um ponto fundamental está acontecendo hoje, com a organização da cadeia produtiva, a partir do plano", pontuou.

Alem dos citados acima, ainda participaram da abertura do Congresso, o presidente da Confederação Brasileira de Apicultura, José Gumercindo Cunha; o superintendente da Ceplac na Bahia, Juvenal Maynard; o coordenador do Congresso Baiano de Apicultura, Pedro Constam; o diretor executivo de Pecuária da EBDA, Marcelo Matos; o presidente da Unamel, José Xavier Leal Neto; o diretor do Centro de Pesquisa do Cacau da Ceplac, Adonias de Castro Virgens e o superintendente da Agricultura Familiar da Seagri, Wilson Dias.

Convênio

Na oportunidade foi firmado convênio entre a Secretaria da Agricultura (Seagri) e as instituições parceiras para que as metas estabelecidas no plano sejam alcançadas. "O convênio prevê aporte de recurso financeiro para o aumento da produção apícola e a renda dos pequenos produtores", destacou Marivânia, responsável pelo programa de apicultura da Bahia, indicando como parceiros o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Banco do Brasil (BB), a Adab e EBDA, vinculadas à Seagri; Ceplac, Sebrae, Central de Cooperativas de Apicultores e a Federação da Apicultura.

Durante a abertura do Congresso instituições e pessoas que contribuíram para o desenvolvimento da atividade no Estado foram homenageadas, como a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, CAR, Febamel, Ceplac, Seagri e o professor e pesquisador Ronaldo Barbosa da Silva.

Eventos

Concomitante ao Congresso acontece o VII Seminário de Própolis do Nordeste e a II Feira da Cadeia Produtiva da Apicultura e Melinocultura. Na área onde estão acontecendo os eventos, os visitantes podem conhecer um stand para a exposição de enxames de abelhas sem ferrão e algumas colméias. São 26 stands com a presença de grandes empresas.

Alem do panorama da apicultura brasileira, os participantes ainda assistirão palestras sobre políticas publicas para o setor na Bahia, sanidade apícola, avanços no manejo de colônias de abelhas sem ferrão, melhoramento de enxames, meliponicultura legal, projeto de produção de pólen na Bahia, e alimentação de abelhas para o semiarido, dentre outros temas.

Vale destacar que ainda ocorrerão reuniões da ABNT, que vai tratar de assuntos relacionados ao própolis e ao pólen; da Unimel - Federação Nordestina de Apicultores; da Febamel - Federação Baiana de Apicultores, e reunião do Congresso Mundial, na Ucrânia, cujo lançamento no Brasil será feito pelo presidente da Confederação Brasileira de Apicultura.

Os realizadores do Congresso são o Ministério da Agricultura, através da Ceplac; Federação Baiana de Apicultura; Associação de Apicultores de Ilhéus e Associação de Apicultores de Canavieiras. Os parceiros são o governo do Estado da Bahia, através da Seagri; Veracel, CAR e SEBRAE. O evento ainda conta com o apoio da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e da Universidade Federal do Oeste da Bahia.

Comentários