A equipe da Agência irá analisar as solicitações dos produtores nestas áreas, orientando-os sobre a necessidade de vacinar os animais assim que seja restabelecida a normalidade climática...

Rui Leal, diretor de Defesa Sanitária Animal da Adab

1ª Etapa de vacinação contra febre aftosa começa amanhã em toda Bahia

Adab define nova estratégia de imunização para os criadores dos municípios atingidos pela seca na Bahia


Desde o dia 1º até 31 de maio todos os pecuaristas devem vacinar seu rebanho, declarar a vacinação e atualizar o cadastro nos escritórios da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), estrategicamente localizados nos municípios baianos. Nesta etapa, a vacinação é obrigatória para todo o rebanho de bovinos e bubalinos - jovens e adultos - do Estado.


Os rebanhos localizados nos municípios que decretaram estado de emergência devido à longa seca, que não possuem condições mínimas de serem vacinados, com deficiências nutricionais, terão a vacinação facultativa. Para isso, os criadores deverão comparecer obrigatoriamente aos escritórios da Adab para solicitar dispensa da vacinação, declarar o quantitativo de animais existentes por espécie (bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, equídeos e aves) e, principalmente, informar as mortes e nascimentos ocorridos no período da seca.


"A equipe da Agência irá analisar as solicitações dos produtores nestas áreas, orientando-os sobre a necessidade de vacinar os animais assim que seja restabelecida a normalidade climática ou a melhoria do escore corporal dos animais e quando necessitar transportá-los para fora do Estado ou para eventos pecuários", orienta o diretor de Defesa Sanitária Animal da Adab, Rui Leal, lembrando que a nova estratégia de vacinação foi definida para esta 1ª etapa de imunização de 2013, por meio da Instrução de Serviço DDSA 03/2013 da Agência.


Diante do cenário causado pela forte seca, o diretor geral da Adab, Paulo Emílio Torres, ressalta que, em posse destas informações, será possível mensurar os prejuízos da seca para a pecuária baiana, além de planejar e estabelecer estratégias direcionadas para o fortalecimento da defesa agropecuária. "Lembro ainda que o período para a imunização não será prorrogado e o criador tem até quinze dias, contabilizados após a vacinação, para a declaração", disse.


Para o Secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, a parceria com o Ministério da Agricultura foi fundamental para direcionar, de forma segura, as ações de defesa sanitária no Estado durante o período de seca. "A Bahia entende as atividades de defesa como um alicerce para o sucesso da agropecuária e manutenção do status sanitário de livre de aftosa com vacinação. Daí os investimentos em tecnologia, convênios, cooperação público e privado, bem como a corresponsabilidade dos criadores na necessidade da vacinação dos animais e sua posterior declaração", aponta Salles.


"O Estado da Bahia possui o maior rebanho do nordeste com mais de 11 milhões de cabeça e, ao longo dos anos, tem demonstrado uma forte vocação agropecuária, refletida pelos crescentes indicadores de produtividade e a diversificação e comercialização de produtos e serviços. Isso se dá devido ao respaldo garantido pela defesa agropecuária no desenvolvimento do agronegócio", destaca a Superintendente Federal da Agricultura na Bahia (SFA/BA), Virgínia Hage.


O presidente da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb), João Martins, também apoia as atividades da Adab e ressalta que a Seagri, através da Adab, vem cumprindo com o seu papel em suporte ao Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA).

Comentários