Deputado critica governo e defende recursos para defesa agropecuária

Deputado critica governo e defende recursos para defesa agropecuária

O sucateamento da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), e o apadrinhamento político responsável pela exoneração de técnicos capacitados e nomeação de pessoas sem a devida formação, coloca em risco a sanidade da produção agropecuária do Estado, notadamente na área vegetal. A afirmação é do deputado estadual Heber Santana (PSC), membro efetivo da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembléia Legislativa da Bahia, que classificou como de estrema importância a audiência pública realizada na Assembléia Legislativa da Bahia para debater a defesa agropecuária na Bahia.

"O governo do Estado tem se mostrado insensível com o setor agropecuário, responsável pela geração de cerca de 24% do PIB, 30% dos empregos e mais de 40% das exportações", aponta Heber Santana, lembrando que a Adab carece de recursos financeiros e materiais para realizar o importante trabalho de garantir a sanidade da produção agropecuária.

De acordo com o deputado Heber Santana, a Bahia, que concentra a maior população de agricultores familiares e mais de 700 mil estabelecimentos agropecuários, está á mercê do ressurgimento ou entrada de pragas que podem causar fortes e irreparáveis impactos sociais e econômicos. Entre as pragas que podem afetar a produção do Estado ele cita a Sigatoka Negra, a doença mais destrutiva da cultura da bananeira, que pode afetar 100% da produção. "A Bahia é o segundo maior produtor de banana do País, gerando milhares de empregos", diz Heber, afirmando que o ataque dessa praga geraria uma tragédia social, além de danos ambientais pois o combate à doença implica em mais de trinta aplicações de produto químico por ano, o que aumenta o custo de produção.

O deputado lembra que a região de Juazeiro, produtora de mangas e uvas, sofre com a progressão da Mosca da Fruta, e cita que "depois de 14 anos controlada a Ferrugem Asiática da Soja volta a ameaçar os mais de 1,5 milhão plantados de soja no Oeste do Estado. A Bahia é também o maior produtor nacional de coco, cultura que sofre ameaça da praga conhecida como Ácaro da Palmeira, já detectada em Sergipe, além do Amazonas, Ceará, São Paulo e Alagoas. A região cacaueira, que nas últimas décadas sofreu com a Vassoura de Bruxa, enfrenta agora a ameaça da Monilíase do Cacau, praga extremamente destrutiva, pois um fruto infectado pode produzir sete bilhões de esporos, disseminados pelo vento. Essa praga já chegou na Colômbia, Equador, Peru e Venezuela, além de países da América Central.

Comentários